O país dos universitários suicidas

maxresdefault.jpg

O país com o segundo melhor sistema educacional do mundo, 11 em cada 100 alunos têm pensado em tirar a própria vida.

A coreia do Sul, país que faz fronteira com a Terra de Kim Jong-un, é um dos lugares mais tristes do planeta : 11 em cada 100 jovens entre 13 e 34 anos ja pensou em suicidar-se e oito de cada 100.000 executam esse propósito (dados do instituto de Estatística da Coreia do Sul).

D acordo com o TCC sem drama as longas horas de memorização e estudo, os poucos momentos de sono, quase nulos recreios, as limitações técnicas, expectativas dos pais e o altíssimo nível de competitividade, marcam o caminho que os adolescentes coreanos têm de percorrer durante três anos de faculdade para ser os melhores no dia do Suneung, o exame de acesso à Universidade. "A educação excessiva é a culpa de sermos o país desenvolvido com mais mortes por suicídio", afirma Park Chul, ex-reitor da Universidade Hankuk.É proibido falhar A bolsa de valores abre uma hora mais tarde. Para evitar congestionamentos, a Prefeitura da cidade foi acionado o serviço especial de ônibus e trens. Também foi habilitada uma central de chamadas para os casos de emergência em que o aluno está chegando tarde. Nesse caso, um policial motorizado irá recebê-lo. É 7 de novembro, no bairro de Anam.

Aqui se encontra uma das sedes em que milhares de adolescentes coreanos são examinados do Suneung. Entre as 13.05 e 13.45 horas, quando terá lugar a prova de inglês, se reprograman 65 aviões para que não se produzam ruídos molestos. O exame tem duração de oito horas e 20 minutos. De cada 50 alunos que realizam os testes, apenas um será admitido na SKY (céu em inglês). SKY são as siglas dos empreendedores na Coreia do Sul, a junção das três melhores universidades: Universidade de Seul, na Universidade da Coreia e de Yonsei (ordem indica o ranking entre elas).

O sonho de qualquer pai e adolescente sul-coreano é entrar aqui. Não importa o preço a pagar. Nem que queira dedicar-se para o resto da vida. "Há um total de 300 instituições em todo o país, mas se você não conseguir entrar no top três, você é um fracassado", conta Park Chul. Uma vez dentro, as possibilidades de fazer parte de alguma das companhias estrela do país (Samsung, Hyundai, LG ou Lotte) se multiplicam. Habin Kim conseguiu tocar o céu. É seu segundo ano na Universidade da Coreia. Estuda Filologia Hispânica.- Por que você decidiu estudar esta corrida?- Não sei, eu não gosto. Mas o meu sonho e o da minha família sempre foi fazer parte da SKY.

 Apesar de a máxima aspiração dos jovens é estudar em alguma dessas instituições, apenas a Universidade Nacional de Seul fica no trecho 101-150 do ranking de Universidades de Xangai 2015, o grande referência internacional. As outras duas, da Universidade da Coreia e de Yonsei, se situam no trecho 201-300. (A universidade mais valorizada de Portugal está nos postos 151-200 e, como Coreia, temos um total de quatro instituições no trecho 201-300). "Ainda não somos um país mentalmente avançado.

Les commentaires sont fermés.